Significado do Nome Escolástico

(Ex.: Maria, João ou José Silva)

Escolástico

Gostou do nome Escolástico? Vote:

Escolástico é um nome Masculino.

A origem do nome Escolástico é Latim.

Definição do nome Escolástico

Estudioso, sábio.

Numerologia do nome Escolástico

Número da ambição é 9: Acreditar que o amor pode ampliar seus horizontes, para possuir maior vibração o que te leva a maiores causas.

Número da personalidade é 4: Acreditar que o amor pode ampliar seus horizontes, para possuir maior vibração o que te leva a maiores causas.

Número da expressão é 4: Enfrentando sempre limitações e restrições bem definidas, mas sua poderosa força de vontade e determinação, juntamente com sua imaginação criadora, te permitem ultrapassar os obstáculos e alcançar o sucesso. A luta é sempre um estímulo.

Resumo do nome Escolástico

Honesta, leal e perseverante, a pessoa de personalidade 4 é altamente metódica e objetiva. Não gosta de rodeios preferindo ir direto ao assunto. Muito exigente com os colegas de trabalho e amigos, deseja deles a mesma perfeição que busca para sí. Perfeccionista ao extremo, inclusive no amor, não gosta muito de inovar e prefere as 'fórmulas' mais tradicionais.

Pontos positivos

Disciplina, Ordem, Estabilidade, Construção, Confiança, Honestidade

Pontos negativos

Rigidez, Crítica excessiva,inflexibilidade, Insegurança, metódico

Outras informações do nome Escolástico

Oriental • Islâmica

Escolástica ou Escolasticismo foi o método de pensamento crítico dominante no ensino nas universidades medievais europeias de cerca de 1100 a 1500. Não tanto uma filosofia ou uma teologia, como um método de aprendizagem, a escolástica nasceu nas escolas monásticas cristãs, de modo a conciliar a fé cristã com um sistema de pensamento racional, especialmente o da filosofia grega. Colocava uma forte ênfase na dialética para ampliar o conhecimento por inferência, e resolver contradições. A obra-prima de Tomás de Aquino, Summa Theologica, é frequentemente vista como exemplo maior da escolástica.

O pensamento escolástico

De acentos notadamente cristãos, a escolástica surgia da necessidade de responder às exigências da fé, ensinada pela Igreja, considerada então como a guardiã dos valores espirituais e morais de toda a Cristandade. Por assim dizer, responsável pela unidade de toda a Europa, que comungava da mesma fé. Esta linha vai do começo do século IX até ao fim do século XVI, ou seja, até ao fim da Idade Média. Este pensamento cristão deve o seu nome às artes ensinadas na altura pelos académicos (escolásticos) nas escolas medievais. Estas artes podiam ser divididas em Trivium (gramática, retórica e dialéctica) e Quadrivium (aritmética, geometria, astronomia e música). A escolástica resulta essencialmente do aprofundar da filosofia.

A Filosofia que até então possuía traços marcadamente clássicos e helenísticos, sofreu influências da cultura judaica e cristã, a partir do século V, quando pensadores cristãos perceberam a necessidade de aprofundar uma fé que estava amadurecendo, em uma tentativa de harmonizá-la com as exigências do pensamento filosófico. Alguns temas que antes não faziam parte do universo do pensamento grego, tais como: Providência e Revelação Divina e Criação a partir do nada passaram a fazer parte de temáticas filosóficas. A Escolástica possui uma constante de natureza neoplatônica, que conciliava elementos da filosofia de Platão com valores de ordem espiritual, reinterpretadas pelo Ocidente cristão. E mesmo quando Tomás de Aquino introduz elementos da filosofia de Aristóteles no pensamento escolástico, esta constante neoplatônica ainda é presente.

Basicamente, a questão chave que vai atravessar todo o pensamento escolástico é a harmonização de duas esferas: a fé e a razão. O pensamento de Agostinho, mais conservador, defende uma subordinação maior da razão em relação à fé, por crer que esta venha restaurar a condição decaída da razão humana. Enquanto que a linha de Tomás de Aquino defende uma certa autonomia da razão na obtenção de respostas, por força da inovação do aristotelismo, apesar de em nenhum momento negar tal subordinação da razão à fé.

Para a Escolástica, algumas fontes eram fundamentais no aprofundamento de sua reflexão, por exemplo os filósofos antigos, as Sagradas Escrituras e os Padres da Igreja, autores dos primeiros séculos cristãos que tinham sobre si a autoridade de fé e de santidade.

Principais representantes do pensamento escolástico

Os maiores representantes do pensamento escolástico são os dois pensadores citados acima, que estão separados pelo tempo e pelo espaço: Agostinho de Hipona, nascido no norte da África no fim do século IV e Tomás de Aquino, nascido na Itália do século XIII. Embora seja arriscado dizer que sejam as únicas referências relevantes do período medieval, ambos conseguiram sintetizar questões discutidas através de todo o período: Agostinho enquanto mestre de opinião relevante e autoridade moral e Tomás de Aquino, pelo uso de caminhos mais eficazes na obtenção de respostas até então em aberto.

Compartilhe o nome Escolástico

Sugestão de nomes

Escobar

© Todos os direitos reservados - Significado do Nome